A escritora nigeriana que se tornou “pop” e por que você deve conhecê-la já

A escritora nigeriana que se tornou “pop” e por que você deve conhecê-la já

Pode parecer difícil imaginar que uma nigeriana que escreve livros densos sobre raça, cultura, identidade e religião se tornaria “pop”. Mas este é o caso de Chimamanda Ngozi Adichie, a convidada do programa Roda Viva desta segunda-feira (14), que é a dica cultural da apresentadora Roberta Scrivano no Puro Malte #49

Mesmo que você não conheça a autora, é provável que você já tenha ouvido sua voz. A nigeriana tem algumas falas remixadas na música Flawless, de Beyoncé. É também possível que você tenha visto alguma de suas palestras entre as TED Talks mais assistidas do mundo. Ou seu romance mais recente, “Americanah”, na lista de best-sellers. 

Chimamanda se tornou “pop” e hoje em dia, seus livros são publicados pela Companhia das Letras, suas palestras são mencionadas frequentemente e ela é considerada uma convidada de honra nos eventos em que participa. A escritora tem muito a agregar e eu, como grande admiradora, vou te contar um pouco mais sobre ela. 

Livros aclamados e uma TED Talk que “explodiu”

Em julho de 2009, a autora concedeu sua primeira palestra no TED,  instituição que organiza conferências ao redor do mundo para disseminar ideias inovadoras. Em menos de 20 minutos, Adichie faz uma exposição incrível sobre o perigo dos estereótipos, falando sobre sua história pessoal de imigrante nigeriana que foi estudar em uma universidade nos Estados Unidos. Chimamanda se formou em escrita criativa pela Universidade John Hopkins e em estudos africanos por Yale.

Nesta época, Chimamanda já tinha escrito três livros aclamados pela crítica: “Hibisco Roxo”, “Meio Sol Amarelo” e “No Seu Pescoço”. 

O primeiro é um romance narrado pela adolescente Kambill, que vive sob as regras de um pai extremamente autoritário e católico, que rejeita a tradição nigeriana. Em um relato que mistura autobiografia e ficção, Chimamanda traça um panorama social da Nigéria dos anos 2000. 

O segundo romance narra a história de diferentes personagens em meio à guerra civil que almejava a fundação do Estado independente de Biafra, nos anos 1960. O nome do livro, inclusive, é uma referência à bandeira do Estado. 

Já o terceiro é uma série de contos permeando os temas de raça, relações familiares, imigração e conflitos religiosos. 

A validação de Beyoncé e do New York Times

Em 2012, a nigeriana foi convidada novamente para uma TED Talk. Desta vez, falou brilhantemente sobre feminismo e impulsionou o debate sobre o tema ao redor do mundo. Tanto que, no final de 2013, vários trechos de sua palestra foram remixados junto à música Flawless, de Beyoncé, o que aumentou ainda mais a notoriedade de Chimamanda. 

Também em 2013, a autora lançou o romance “Americanah”, que tem um quê autobiográfico ao narrar a história de uma mulher que se muda para os Estados Unidos, mas que ainda mantém laços com seu primeiro amor, que reside na Nigéria. O livro foi considerado pelo New York Times como um dos melhores livros de 2013. 

Suas últimas publicações foram um “guia” de como educar seus filhos seguindo princípios feministas, “Para educar crianças feministas”, publicado em 2017, e o curto livro “Notas sobre o luto”, um relato sensível sobre a perda de pessoas queridas, escrito depois da morte do pai da autora. Todos os livros de Adichie foram publicados no Brasil pela Companhia das Letras. 

Agora, Chimamanda tem dividido seu tempo ministrando aulas de escrita criativa nos Estados Unidos e na Nigéria, além de participar de eventos e programas, como o Roda Viva desta semana.

O programa vai ao ar às 22h e será transmitido na TV Cultura e também no canal do Youtube da emissora. 

Confira todas as dicas culturais do Puro Malte #49:

  • Série “The Playbook”, disponível na Netflix, que fala sobre as estratégias vitoriosas de técnicos esportivos. Indicação de Marcio Kroehn. 
  • Aplicativo Grasshopper, feito pelo Google para ensinar programação básica. Indicação de Rodolfo Amstalden. 
  • Filme “O Divino Baggio”, sobre o jogador Roberto Baggio, disponível na Netflix. Indicação de Felipe Miranda. 


Sobre o autor
Maria Eduarda Nogueira
Maria Eduarda Nogueira
Produtora de conteúdo na Empiricus. Jornalista em formação pela Universidade de São Paulo (USP), já trabalhou com assessoria de imprensa, turismo e mídias sociais.
A bomba Bitcoin: conheça “Cripto Wars”, o livro que explica as guerras cambiais Raízen terá IPO “energizado”: conheça uma forma de entrar a partir de R$100 IPO da Robinhood: não é oportunidade, é cilada “Para mim, não existe day trade” afirma Paulo Antunes Esqueça financiamento: veja como comprar carros novos com até 50% de desconto Água: essencial e escassa – invista na preservação O livro “O Céu da Meia Noite” e sua ficção pensativa Perdeu, Cristiano Ronaldo: lucros da Coca-Cola continuam explodindo Quer entrar pro mercado financeiro? Empiricus abre nova turma de MBA Conheça a empresa bilionária brasileira que faz Jeff Bezos comer poeira