Ney e Elis: conheça o lado “além das câmeras” de dois dos maiores cantores brasileiros

Ney e Elis: conheça o lado “além das câmeras” de dois dos maiores cantores brasileiros

Se tivesse que eleger apenas uma expressão para descrever, ao mesmo tempo, Elis Regina e Ney Matogrosso, diria que são artistas à frente do seu tempo. Por vezes, incompreendidos e julgados, Ney e Elis deixaram marca permanente na história da música brasileira. A trajetória dessas duas figuras ilustres da música envolve discos, performances e polêmicas, mas não se resume a isso. 

São as histórias que não chegaram aos jornais que recheiam as páginas dos livros “Ney Matogrosso: A biografia” e “Elis e eu: 11 anos, 6 meses e 19 dias com minha mãe”, livros indicados, respectivamente, por Rodolfo Amstalden e Bia Nantes, no podcast Puro Malte.

Ney de Souza Pereira: o menino antes de Ney Matogrosso

Foram necessários cinco anos de pesquisa e quase 200 entrevistas para que o jornalista Júlio Maria pudesse contar com maestria a história de Ney de Souza Pereira, um menino que nasceu no interior do Mato Grosso do Sul, sob os domínios de um pai militar e autoritário que não aceitava a personalidade do filho. 

Em “Ney Matogrosso: A biografia”, livro recém-lançado pela Companhia das Letras, conhecemos a história deste cantor e intérprete que ficou conhecido por suas performances icônicas, sua voz marcante e, sobretudo, por sua luta pela liberdade de expressão. Júlio Maria fez uma verdadeira imersão na história pessoal de Ney: visitou sua cidade natal e o quartel da Aeronáutica em que serviu após fugir de casa, conversou com amigos, empresários e outros jornalistas e fez longas entrevistas com o artista. 

O livro relata a ascensão de Matogrosso à fama, quando entrou na cena musical com a banda Secos & Molhados, já aos 31 anos, e sua carreira solo posterior. Também os temas de sexualidade não ficam de fora da obra, incluindo os três grandes amores da vida de Ney e o “fantasma da AIDS” que o assombrou durante anos e que foi responsável por tirar a vida de vários de seus amigos e companheiros. 

Através das palavras de Júlio Maria, conseguimos ter uma visão 360 (ou quase isso) do artista, que sempre manteve muita discrição com sua vida pessoal e finalmente se revela por completo na obra recém-lançada. 

A Elis da “porta pra dentro”

O jornalista Júlio Maria também escreveu uma outra biografia de sucesso: a de Elis Regina, lançada em 2015. Apesar de tratarem da mesma pessoa, o livro é bem diferente de “Elis e Eu: 11 anos, 6 meses e 19 dias com minha mãe” que reúne histórias da vida familiar de Elis, contados através das memórias de João Marcello Bôscoli. 

A obra escrita pelo primogênito da cantora não se prende a datas e a cronologia, o que a torna complementar à biografia “Elis Regina: Nada será como antes”. Em seus registros, Bôscoli traz uma visão da Elis familiar, ou melhor, da Elis mãe, que apesar da fama, nunca deixou de lado a criação dos filhos. 

Em um dos vários episódios com a mãe, o autor fala de quando ela o deixou dormindo no corredor da casa como forma de punição e quando ela o matriculou em uma escola pública, para que ele aprendesse sobre a realidade da maior parte do Brasil. Ao mesmo tempo, o primogênito reforça que a mãe também amava paparicar os filhos. 

Nos primeiros capítulos do livro, Bôscoli fala sobre a solidão após ver a mãe partir de forma inesperada e repentina e sobre os “parasitas sociais”, pessoas interesseiras que se afastaram depois da morte da cantora e deixaram a família sem amparo. O livro também traz fotos raras de Elis e sua família e é um “acalento” para todos os brasileiros que viram a estrela partir tão jovem. 

Se você gostar de biografias…

Biografias são narrativas que nos mostram “a outra face” de personalidades conhecidas e nos conectam com o lado mais humano daquelas pessoas que recheiam os noticiários todos os dias. São também uma ótima oportunidade de aprendizado, pois aprendemos lendo os erros e acertos de figuras que se tornaram notáveis em seus respectivos ramos. 

Uma das biografias mais interessantes já escritas levou também cinco anos para chegar às livrarias. Ela conta a história de um homem extremamente paciente de Omaha, que usou o tempo como seu maior trunfo na área dos investimentos. Um homem que conquistou cifras milionárias, mas que manteve uma casa modesta em seu estado natal. Um dos homens mais ricos do mundo, que pretende abrir mão da maior parte do seu patrimônio. 

O livro é “A bola de neve: Warren Buffett e o negócio da vida”, escrito pela jornalista Alice Schroeder, e é a única biografia autorizada do megainvestidor. Os assinantes do Empiricus Books já a receberam em casa e puderam conhecer a fundo a história do Mago de Omaha. 

Além desta biografia, o clube de livros já enviou “Soros – O investidor mais influente do mundo”, biografia do megainvestidor George Soros e “O Homem que Decifrou o Mercado”, sobre Jim Simons, o fundador de um dos melhores hedge funds do mundo. 

Caso queira receber biografias deste porte e outros livros sobre finanças, negócios e empreendedorismo, fica aqui o convite para conhecer o Empiricus Books. A cada dois meses, você recebe um exemplar em casa (com frete grátis) com um marcador de página personalizado. Saiba mais aqui!

Confira as outras dicas culturais do Puro Malte #56:


Sobre o autor
Maria Eduarda Nogueira
Maria Eduarda Nogueira
Produtora de conteúdo na Empiricus. Jornalista em formação pela Universidade de São Paulo (USP), já trabalhou com assessoria de imprensa, turismo e mídias sociais.
Qual a perspectiva para economia em 2022? Veja o que fala Gustavo Loyola, ex-presidente do Banco Central Saiba o que faltou para quem comprou Bitcoin e Magalu ter ficado milionário Além de comentarista, Arnaldo Cézar Coelho teve carreira no mercado financeiro Palavra do Estrategista e Empiricus Books (combo 2 x 1 ) Como a Empiricus faturou R$ 20 milhões em 7 dias com um PDF O que é ESG? E o porquê você deve investir nessas ações Quais as qualidades exigidas para os líderes do futuro? Participe de fórum online gratuito Por trás da ciência das primeiras impressões: conheça ‘Blink’, de Malcolm Gladwell Marketing digital está em alta- como receber salários de até R$ 60 mil na área Você poderia ter trocado R$100 por R$10.769 – essa é sua nova chance com cripto, uma gamecoin